segunda-feira, 8 de agosto de 2011

...vivendo



Relampagos clareiam o céu, uma forte chuva cai, tornando a tarde melancólica.

Tenho trabalhado pouco no atelie, apenas idéias e rabiscos. Cabeça pensante querendo por ao mundo a vida que nasce dos momentos de loucuras , cria e criatura, arte e artista... rebentos...

Dias desiguais, assim me encontro, cauteloso, firme, ali ao lado... meu bebe dorme, ninado pelo barulho da chuva, que a pouco observava, vendo os pingos formarem círculos na piscina. Hipinóticos círculos... lembram a infancia, retorno os olhos ao bebe que dorme... apenas o barulho da chuva corta o silencio. Vago em pensamentos soltos, lembrei do por do sol ontem na beira mar, onde um sol gigante pintou o mar de vermelho e o fim da tarde se fez rosa, dias desiguais... Hoje, cinza-chuva...

mk



Um comentário:

  1. Cada dia com sua cor, assim como nossas almas.

    Saudade de ti, Márcio.

    ResponderExcluir