quarta-feira, 30 de junho de 2010

Instintivo





Sonha,
sonha, Marcelinho...






... eu também sonho.

What the hell am I doing here?
I don't belong here
I don't belong me
Atrás do morro tem uma cidade.
São apenas frases e versos soltos... soltos...

terça-feira, 29 de junho de 2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Tempo esgotado


Corri até o próximo instante,
diversão masoquista.
Lembranças passadas do futuro findo,
resistem apenas em memórias de sonhador,
quiseras mortas...
sobrevivem ao tempo.

Coração grita,
dilacera-se em misericórdia. Ah coração...
parece pedinte! Sossegue...
O futuro, acabou.
mk

quarta-feira, 16 de junho de 2010

...
e o vazio que vai lá fora,
cai macio dentro de mim
AA




Declarado... intenso
Até o encanto se quebrar...

terça-feira, 15 de junho de 2010


UHUUUUUHHHH...
Sou BRASILEIRO


Sou brasileiro, tatu-peba taturana
Bom de bola, ruim de grana, tabuada sei de cor
Quatro vez sete vinte e oito nove fora
Ou a onça me devora ou no fim vou rir melhor
Edu Lobo

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Imagem por si


Meu amor,
quem sabe a gente vá
dar uma volta na esquina
e sonhar com Paris.
CF
foto google

quinta-feira, 10 de junho de 2010

na mira... ilusão


Existem coisas que me encantam pelo simples fato de existirem.
Palavras, as avessas ou em versos... encanto que me encanta.
Escritas, perpetuadas das mentes dotadas. Eu simples admirador, mero usurpador!
Roubo, sem pudor algum, quando me encantam, me traduzem, me jogam para vida ou até me findam.
Ah... esses bárbaros poetas, seres que pisam em nuvens, que brotam em sentidos e morrem em sentimentos.
Sonhadores... preservadores de pensamentos-sentimentos em rimas, prosas e versos.
Poetas que me encantam, me fazem sentir exaustão e alívio. Fazem ver que não sou o único que transgrido sentidos, porém em sentimentos vivo.
Que pulso em fome e me sacio nas entre linhas.
Sentimentos roubados, meus... sentidos iguais, reta-vida!
Poetas, loucos que me traduzem e me jogam a beira do abismo em falso equilíbrio, tenho labirintite!
Que me fazem morrer de amor-suado, inventado por mente de artista e coração em delírio.
Palavras soltas-versos-meu pecado de sonhar. Sonhar com as estrelas, se deleitar nas nuvens e amar no espaço... sonhos de rimas...
Poetas e poemas.
mk

Será que tudo me interessa
Cada coisa é demais e tantas
Quais eram minhas esperanças
O que é ameaça e o que é promessa
Ruas voando sobre ruas.
Letras demais, tudo mentindo
Caetano Veloso

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Nova Semana


Salve, salve, pessoas.... aqui está muito frio, um azul lindo tinge o céu e o sol se faz amarelo e quentinho... adoro isso!
Bom segunda feira dia de organizar a semana, que passa feito tufão...buhn...passou!
Então, tenho que levar umas obras para o leilão, estou com pessoas estranhas trabalhando aqui em casa, o jeito é pedir socorro. Salve, salve-me Sandrinho!!!
Mas estou otimista quanto a esta semana, encarando tudo numa boa, to de boa, espero que ao chegar o fim de semana esteja assim zen e não sem... paciencia!
É isso, o dia lá fora se faz azul a vida é bela, pulsa e me chama... vou lá!
mk

Imagem Felipe Parucci

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Imagem por si
À noite, quando finjo sério,
Deito-me às iras e adormeço.
Jacson Faller

quarta-feira, 2 de junho de 2010

...preguiça-rede-livro


Ontem um azul intenso sustentava um sol amarelinho que aquecia o frio típico do mes de junho, entendeu bem... mes de junho, cara ontem desejei a voce feliz ano novo... hoje estamos na metade do ano! Então frio-azul-sol e uma super preguiça que me perseguiu o dia inteiro, rede e livro... assim fiquei curtindo um dia de terça de preguiça. Havia coisas acumulandas a serem feitas, nada urgente, eu merecia a preguiça-rede-livro em plena terça-feira.
O dia passou e acabei a leitura do livro Adeus, China - O último bailarino de Mao. Biografia de Li Cunxin. História que emociona e indico a leitura, com ou sem preguiça.
É isso... hoje aqui está cinza, o sol ficou com preguiça e não veio.
mk

O menino cavava o mais rápido possível, com o traseiro para cima. Várias vezes perdeu o túnel, bloqueado pelos ratos. Então vimos que havia ramificações em direções diferentes, com tres pontos de armazenagem: um de amendoins descascados, outro de amendoins meio descascados e um terceiro de amendoins com casca. Os ratos, porém, não foram encontrados. Provavelmente, tinham uma rota secreta de fuga.
O menino de sorte levou para casa quase meio cesto de amendoins. Secretamente, fiquei com pena dos ratos que tinham perdido a comida. Afinal, eles também poderiam morrer de fome no inverno. "Mundo Cruel" eu pensei, "em que crianças competiam com ratos por comida."
Li Cunxin